quarta-feira, 11 de março de 2009

Confusão de direitos autorais faz usuários ingleses ficarem sem o Youtube Premium

A notícia foi veiculada tem pouco mais de 12 horas, pela BBC britânica e pelo jornal The Guardian. O Youtube restringiu os vídeos de grandes gravadoras, os considerados “premium”, aos usuários ingleses. E o motivo recai sobre uma confusão das diretrizes autorais dos artistas, segundo publicou o Google, dono do portal, em seu blog: “Valorizamos a criatividade dos compositores e trabalhamos duramente para que recebam um lucro significativo pela transmissão de seus trabalhos pela internet.” Porém, o Google reclama da ganância da PRS (Performing Rights Society), instituição que organiza e representa os direitos autorais dos artistas, bem como dos valores cobrados de suas obras. “Ela está nos pedindo uma quantidade muito acima do antigo acordo, o que não nos podemos permitir", justificou.

Representante da maioria dos artistas do Reino Unido, a PRS já se manifestou por meio de nota do seu executivo, Steve Porter, em que lamenta o ocorrido e acusa o Google de querer inchar seus faturamentos e que o acréscimo na cobrança se deve ao aumento monstruoso da audiência do site. Porter afirma ainda que esta decisão do Google só prejudica os usuários e compositores que eles representam. O Youtube diz que o bloqueio é temporário, mesmo com a continuidade das negociações com a PRS, que devem se intensificar.

De qualquer forma, os vídeos que não podem ser vistos são apenas os inseridos pela gravadora; os usuários continuam com a possibilidade de colocar e assistir qualquer um que queiram. (Por Liliane Rodrigues)

3 comentários:

Paulo Rená da Silva Santarém disse...

Nessa briga entre as gravadores e o Google, os usuários não perdem muito, afinal a troca fica como está, livre. Sinceramente, acho que as empresas continuam errando em suas estratégias. Elas deveriam ficar mais atentas às novas possibilidades em vez de tentar enquadrar tudo no modelo atual. Nesse caso, o problema orbita em torno do patrimônio a ser auferido, olha que besteira. O lance é ganhar indiretamente. Um dia eles entenderão esse novo direito, nascido na rede.

Paulo Pimenta disse...

Vany, obrigado mais uma vez pela visita. Te linkei. Passa lá pra ver. Beijo

mosaicosocial disse...

Paulo Rená - não entendi seu comentário - o problema gira em torno do patrimônio a ser contalibilizado? Como? Dividir o bolo? De que forma? Como eu não entendo disso, vc pode me explicar? Eu entendo que o creme de la creme fica de fora... então, há uma perda, sim. Mas, o espaço está aberto a explicações - sou leiga total no tema. Obrigada - Vany